Petrobras anuncia novo aumento de gasolina e diesel a partir deste sábado

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (17) novo reajuste nos preços médios dos combustíveis fósseis vendidos para as distribuidoras. A partir deste sábado (18), o valor da gasolina passará de R$ 3,86 para R$ 4,06 por litro, enquanto o óleo diesel passará de R$ 4,91 para R$ 5,61 por litro. O aumento da gasolina ocorre após 99 dias, o último reajuste foi em 11 de março, e do diesel acontece após 39 dias, o último aumento foi em 10 de maio. Já os preços do GLP (gás liquefeito de petróleo) não serão reajustados.

Com os novos preços, a gasolina apresenta um aumento de 5,18%, enquanto o óleo diesel tem alta de 14,26%. “O mercado global de energia está atualmente em situação desafiadora. Com a aceleração da recuperação econômica mundial a partir do segundo semestre de 2021 e, notadamente, com o início do conflito no Leste Europeu em fevereiro de 2022, tem-se observado menor oferta e maior demanda por energia, com aumento dos preços e maior volatilidade nas cotações internacionais de commodities energéticas, em especial, do óleo diesel”, justificou a Petrobras em nota oficial à imprensa.

Considerando a mistura obrigatória de 73% de gasolina A e 27% de etanol anidro para a composição da gasolina comercializada nos postos, a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 2,81, em média, para R$ 2,96 a cada litro vendido na bomba, ou seja, uma variação de R$ 0,15 por litro. Considerando a mistura obrigatória de 90% de diesel A e 10% de biodiesel para a composição do diesel comercializado nos postos, a parcela da estatal no preço ao consumidor passará de R$ 4,42, em média, para R$ 5,05 a cada litro vendido na bomba, uma variação de R$ 0,63 por litro.

A Petrobras também informou que evita o repasse imediato da volatilidade das cotações internacionais e da taxa de câmbio para os preços internos, ou seja, evita o repasse das variações temporárias que podem ser revertidas no curto prazo, procurando manter prazos maiores sem reajustes nos preços de venda para as distribuidoras, como foram os 99 dias sem alta para a gasolina e 39 dias para o diesel.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil