Suzano adquire 14 hexatrens Volvo FMX

A Suzano, uma das maiores empresas brasileiras do setor de madeira e celulose e maior fabricante mundial de celulose de eucalipto, amplia sua frota com 14 novos hexatrens tracionados por cavalos mecânicos Volvo FMX para atuarem nas florestas de sua unidade fabril de Mucuri, no extremo sul da Bahia. Cada conjunto apresenta 54 metros de comprimento total, com capacidade para até 200 toneladas de toras por viagem, trafegando exclusivamente em estradas particulares dentro das fazendas de reflorestamento. A Suzano iniciou a utilização de hexatrens em 2019 na fábrica de Três Lagoas (MS), onde a companhia já opera 19 composições deste tipo.

Os hexatrens atuam numa importante parte da cadeia produtiva da Suzano. Depois da colheita, eles transportam as toras de dentro das fazendas até a fábrica, onde são picadas e processadas, transformando-se em celulose, matéria-prima para a fabricação de papel e produtos de higiene, outros bens de consumo. A capacidade anual de produção da fábrica de Mucuri é de 200 mil toneladas de celulose integrada, 1,4 bilhão de toneladas de celulose de mercado e 250 mil toneladas de papel, sendo considerada a unidade de maior produtividade do mundo em seu segmento.

A Suzano, criada pelo industrial Leon Feffer inicialmente na cidade de Suzano (SP), é líder mundial no mercado de celulose e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina, exportando para mais de 80 países, com produtos consumidos por mais de 2 bilhões de pessoas. A companhia conta com 35 mil funcionários trabalhando em 11 unidades industriais, 1,3 milhão de hectares de árvores plantadas, mais de 900 mil hectares de florestas conservadas, capacidade anual de produção de 10,9 milhões de toneladas de celulose, 35 mil clientes no setor de papel e capacidade de produção de 1,3 milhão de toneladas de papel por ano.

“Não tenho dúvida de que repetiremos o sucesso conseguido no MS. O ganho de produtividade de um hexatrem frente a um pentatrem alcança perto de 30% e quase 130% na comparação com um tritrem. Podemos transportar mais volume em menos tempo, com a mesma segurança e ainda tendo ganhos ambientais e operacionais”, declara Alberto Vieira, gerente executivo de Logística e Colheita da Suzano na Bahia, Minas Gerais e Espírito Santo.

“O FMX adquirido pela Suzano tem características especiais e foi customizado para essa operação, fazendo dele o caminhão ideal para movimentação de grandes quantidades de madeira. É um caminhão para operações severas, muito robusto, seguro e com baixo consumo de combustível”, afirma Alcides Cavalcanti, diretor executivo de Caminhões da Volvo. O executivo destaca que o veículo tem chassi extremamente reforçado, motor de 540 cv e transmissão eletrônica I-Shift com 14 marchas (duas super reduzidas), além de eixos traseiros com altíssima capacidade de tração para suportar a operação.

O Volvo FMX foi desenvolvido especialmente para operações mais severas em terrenos mais acidentados, tendo conquistado um grande sucesso no seu segmento, sendo muito utilizado no setores sucroalcooleiro, de mineração, florestal e de construção pesada. A linha 2022 do modelo trouxe novidades na cabine, com novo design, mais tecnologia embarcada, com conectividade e mais itens de segurança. O FMX Max, destinado à mineração, possui PBT (peso bruto total) de 58 toneladas e CMT (capacidade máxima de tração) de 225 toneladas, a maior do segmento.

“É um veículo extremamente robusto e ao mesmo tempo tem um alto grau de tecnologia embarcada, o que proporciona grande disponibilidade e mais rentabilidade ao negócio do transportador”, finaliza Carlos Paulin, gerente comercial de Caminhões Vocacionais da Volvo.

Foto: Volvo