Mercedes-Benz celebra 30 anos do Centro de Desenvolvimento Tecnológico de caminhões e ônibus no Brasil

A Mercedes-Benz do Brasil, que este ano comemora 65 anos de atividades no Brasil, celebra também os 30 anos do Centro de Desenvolvimento Tecnológico (CDT) de caminhões e ônibus no Brasil. Localizado na unidade industrial da marca em São Bernardo do Campo (SP), o CDT foi inaugurado em 29 de agosto de 1991 e é o maior polo de desenvolvimento de veículos comerciais do Brasil e da América Latina, e também o maior da Daimler fora da Alemanha neste segmento.

Graças ao forte e atuante papel do CDT, em conjunto com as demais áreas da empresa, a Mercedes-Benz do Brasil se estabeleceu como um player global do Grupo Daimler para o desenvolvimento de caminhões, chassis de ônibus e powertrain (agregados). Nesse centro foram desenvolvidos vários modelos vendidos no Brasil e em outros países da América Latina, como a linha de caminhões bicudos lançada no início da década de 90, entre eles o extrapesado premium 1941, o mais potente da época, com 410 cv de potência. Eram produtos exclusivos do Brasil e que não existiam na Europa, que utilizavam cabine que serviu de base também para a dos caminhões bicudos da norte-americana Freightliner, marca que igualmente pertence ao Grupo Daimler.

“O CDT traz em sua essência o DNA de pioneirismo e inovação da nossa marca, oferecendo soluções para o transporte de cargas e passageiros, e indicando tendências de mercado. Com uma estrutura moderna e com 563 colaboradores, entre engenheiros, técnicos e especialistas, o CDT é motivo de orgulho para a companhia e um legado para a engenharia brasileira. Aqui, pessoas e tecnologias estão a serviço da mobilidade, sustentabilidade e do ecossistema do transporte responsável, para hoje e para o futuro da sociedade”, afirma Karl Deppen, presidente da Mercedes-Benz do Brasil & CEO América Latina.

O planejamento e a construção do CDT representaram a consolidação e a própria evolução das atividades de desenvolvimento tecnológico da Mercedes-Benz do Brasil, que começou em 1963 com a implantação da Engenharia de Produtos, dedicada a caminhões, chassis de ônibus e powertrain. No ano de 1970, foi criada a área de Engenharia Experimental para veículos, motores e componentes. Com o CDT, em 1991, houve um agrupamento das diversas equipes e a centralização das atividades num mesmo local.

“Essa trajetória de 30 anos é fruto do trabalho de profissionais competentes que ajudam a construir uma empresa inovadora em tudo o que se propõe a fazer. Desde a inauguração do CDT, já era claro que a unidade brasileira teria um papel fundamental dentro da Daimler Trucks”, destaca Deppen.

A equipe do CDT da Mercedes-Benz conta ainda com a disponibilidade de um campo de provas de caminhões e ônibus localizado em Iracemápolis (SP), o maior do Hemisfério Sul, inaugurado em 2018, que receberá um centro de testes completo para todos os segmentos de veículos em parceria com a Bosch, cujas obras terão início ainda neste semestre. Além de ser utilizada pela própria empresa, o novo centro de testes será aberto ao mercado e poderá ser locado por fabricantes do setor automotivo, e não apenas de caminhões e ônibus, mas também de automóveis, vans, sistemas e componentes.

“O CDT se destaca pela diversidade de profissionais que aqui trabalham, de várias origens, daqui e do exterior, que trazem a riqueza de conhecimento e de culturas para a empresa. O caminho inverso também acontece, com muitos engenheiros e técnicos brasileiros se transferindo para outras unidades da Daimler no mundo, levando know-how, proatividade e criatividade ao desenvolvimento de projetos para outros mercados”, ressalta Daniel Spinelli, diretor de Desenvolvimento de Caminhões da Mercedes-Benz do Brasil.

O centro de desenvolvimento Mercedes-Benz conta com as mais recentes tecnologias digitais de projeto CAD (Computer-Aided Design, projeto auxiliado por computador), CAE (Computer-Aided Engineering, engenharia auxiliada por computador) e CAT (Computer-Assisted Translation, tradução assistida por computador), ensaios acelerados em banco de provas e no campo de provas da Mercedes-Benz já mencionado, o que proporciona uma significativa redução no tempo de desenvolvimento dos produtos no ciclo que começa na ideia e vai até o produto final vendido ao consumidor. O CDT possui também um estúdio de Design, onde são desenvolvidas soluções de itens como as formas aerodinâmicas das cabines, a ergonomia do painel de instrumentos e assentos, e também são criados concepts em escala (foto) e em tamanho real para estudo de futuros produtos da marca.

O CDT se posiciona no mesmo nível de unidades similares da Daimler Truck na Alemanha, Estados Unidos (Freightliner, Western Star e Thomas Built Buses), Japão (Mitsubishi Fuso) e Turquia (Mercedes-Benz), desenvolvendo projetos globais que podem ser comercializados em vários países, o que confirma a capacidade do time brasileiro de gerar soluções com alcance mundial. Como exemplo, muitos colaboradores do Brasil estiveram na Alemanha durante a fase de desenvolvimento dos caminhões extrapesados da nova geração do Actros, lançada no mercado brasileiro no ano passado.

“Este produto top de linha é um divisor de águas da marca no país. Trouxemos um caminhão global, mas desenvolvemos aqui um modelo sintonizado com a realidade dos clientes e do transporte de cargas. Testamos exaustivamente o novo Actros, sob as mais rigorosas situações nas estradas e nosso campo de provas, e o resultado é o caminhão mais seguro, inteligente, eficiente, digital e conectado do mercado. Em parceria com nossos colegas de Vendas, Marketing e Pós-Venda, ouvimos os clientes e os parceiros. O resultado está aí, um case de sucesso no competitivo segmento de extrapesados. Um produto moderno e tecnológico, nascido da nova plataforma global de extrapesados, que incorporou o mote ‘As estradas falam e a Mercedes-Benz ouve cada voz’. A partir desse compromisso, queremos sempre entregar soluções que tragam cada vez mais valor para os clientes”, afirma Spinelli.

A cabine brasileira do novo Actros, por exemplo, desenvolvida pelo CDT de São Bernardo do Campo, integrado com a engenharia global da Daimler, foi utilizada posteriormente também no novo Actros F que é comercializado em 24 países da Europa e de outros continentes, ou seja, um produto global desenvolvido pela equipe brasileira. É a primeira vez que a Mercedes-Benz do Brasil exporta um projeto desse porte para a matriz.

O CDT teve papel relevante no desenvolvimento das demais linhas de caminhões, sempre apresentando novidades tecnológicas e novos modelos para as linhas Accelo (como o 1316 6×2, com cabine estendida e câmbio automatizado), Atego (3030 8×2 e câmbio automatizado) e Axor (desde 2016 ganhou mais de 60 itens novos de segurança, conforto e desempenho).

No segmento de ônibus, o CDT tem um papel fundamental no desenvolvimento do portfólio de modelos urbanos e rodoviários para o mercado interno e para a América Latina e outros continentes. Os ônibus monoblocos O 370 e a atualização dos chassis LO, OF e OH foram os primeiros projetos 100% nacionais desenvolvidos pelo CDT. Na sequência, vieram novas gerações, como a linha O 400 e a atual família O 500. “Com longa experiência e amplo conhecimento do segmento, a Mercedes-Benz do Brasil tornou-se o centro de competência mundial da Daimler para desenvolvimento de chassis de ônibus da marca”, afirma Christian Flecksteiner, diretor de Desenvolvimento de Chassis de Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil.

Além de aprimorar ainda mais modelos já consagrados pelo mercado, a equipe do CDT criou, recentemente, novos conceitos de produto, como os superarticulados O 500 MDA e UDA (piso alto e piso baixo, respectivamente) para carrocerias de até 23 metros de comprimento, com capacidade para mais de 200 passageiros e ideal para sistemas de transporte coletivo urbano baseados em corredores, faixas exclusivas e BRT (Bus Rapid Transit). E a Mercedes-Benz acaba de apresentar o novo chassi eO500U, o primeiro ônibus 100% elétrico da marca no Brasil, modelo urbano totalmente desenvolvido pelo time do CDT, um produto alinhado com o compromisso da companhia em promover a mobilidade com sustentabilidade.

“Com toda essa estrutura e contando com pessoas experientes e competentes, o CDT sempre amplia as possibilidades de buscar novos conhecimentos e aprendizados por meio da inovação e de novas tecnologias. É um orgulho muito grande para todos poder contribuir para a engenharia brasileira e para a nossa sociedade como um todo”, finaliza Thomas Lemcke, diretor de Desenvolvimento de Powertrain da Mercedes-Benz do Brasil.

Foto: Mercedes-Benz