Setcepar completa 78 anos de atividades

Ao completar 78 anos de atividades, o Setcepar (Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas no Estado do Paraná) se consolida como a maior entidade do segmento paranaense e a segunda mais importante no cenário nacional. Sua fundação em 1943 em uma pequena sala no Edifício Asa, localizado no Centro de Curitiba, teve como finalidade trabalhar na defesa dos interesses dos empresários que atuavam no segmento. Da mínima estrutura da época, hoje a entidade representa 12 mil empresas sediadas em 265 cidades do Paraná.

Mas o Setcepar não se tornou apenas um sindicato patronal voltado a oferecer serviços aos associados. “Nessas quase oito décadas de atuação, a entidade transformou-se em instrumento de desenvolvimento, capacitação e eficiência em transporte de carga, proporcionando voz e vez a todos aqueles envolvidos no setor, além de contribuir para o crescimento econômico e social do país”, destaca o presidente, Marcos Egídio Battistella.

De acordo com ele, o Setcepar alterou seu sistema de trabalho ao longo dos anos visando a se aproximar mais dos associados e a provê-los de todo o suporte necessário à gestão do negócio. “A entidade se cercou de profissionais habilitados para oferecer assessoria jurídica, trabalhista, tributária, ferramentas de qualificação de mão-de-obra como cursos e treinamentos diferenciados, para o enfrentamento de problemas e desafios comuns ao setor”, relata.

O foco tem sido, e com mais força nos últimos anos, a qualificação dos colaboradores que atuam nas empresas associadas. “Acreditamos que os recursos humanos são a força motriz do crescimento, aperfeiçoamento do setor de logística do Paraná. Uma mão de obra capacitada e treinada contribui para a redução de custos, aumenta a segurança nas estradas e atende com mais qualidade os clientes”, ressalta o presidente.

Battistella destaca que a qualificação da mão-de-obra, principalmente dos motoristas, também gira em torno das novas tecnologias embarcadas nos veículos. “É necessário orientar e treinar os profissionais para que utilizem as ferramentas tecnológicas disponíveis nos caminhões e, assim, usufruírem os benefícios para prestar um serviço de qualidade e eficiência aos clientes e revertê-los em menos custos e mais segurança”, assegura. Assim, “desenvolveremos a competência das pessoas para gerar transporte com eficiência”, frisa.

Uma das batalhas enfrentadas pelo setor é em relação à questão rodoviária. “Há a necessidade de investimentos em infraestrutura para que o segmento possa oferecer serviço de qualidade e com segurança”, observa. De acordo com Battistella, quando se fala em transporte de carga pensa-se apenas nas estradas. “Não podemos deixar de tratar aqui na mobilidade urbana, como fica a logística dentro das cidades”, indaga. Sobre isso, ele informa que o Setcepar está, em parceria com a Prefeitura Municipal de Curitiba, estudando projetos que possam contribuir para melhorar a mobilidade do transporte de carga nas vias urbanas.

Também ressalta que a entidade sempre manteve uma relação saudável em termos de reivindicações trabalhistas dos colaboradores. “A negociação sempre foi a palavra-chave nesses assuntos. Não atuamos de maneira unilateral, todos os ouvidos e os resultados devem ser bons para os dois lados”.

Sobre o contexto da pandemia, Battistella ressalta que o Setcepar precisou se reinventar. “Mas de tudo sempre consegue se extrair um aprendizado. Por exemplo, a realização de cursos, reuniões e treinamentos em forma on-line, aliás, muito produtiva, resultou em redução de custos e na rapidez da transmissão de informações. Temos a expectativa que o país retome a normalidade ainda neste ano, que o nível de emprego cresça e que a economia entre nos eixos”, fala.

Com essa visão otimista, Battistella anuncia que o Setcepar segue preparando muitos projetos. “Vamos incrementar os cursos e treinamentos para motoristas e incentivar as profissionais mulheres a ingressarem no mercado do transporte de cargas”, conta. Outro projeto é auxiliar as empresas a adquirir insumos necessários à operacionalização do negócio e que com a pandemia tiveram muita elevação de preços. “A proposta do Setcepar se mantém durante esses 78 anos, que é oferecer serviços que aprimoram, integram, orientam e formam a força representativa para o setor de transporte rodoviário de carga”, conclui.

De: Setcepar