Rodofort alerta que aumentos constantes do preço do aço podem comprometer negócios

A Rodofort, fabricante de implementos rodoviários de Sumaré (SP), prevê que reajustes do preço do aço podem frear a recuperação do mercado de implementos. Siderúrgicas anunciam o quinto reajuste do ano, com aumento de 15% a partir de junho. “Aumentos constantes comprometem o importante momento de recuperação econômica que estamos passando”, avalia Alves Pereira, diretor-geral da AB Rodofort.

Em pesquisa divulgada pela FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), de janeiro de 2020 a março de 2021 o preço do aço sofreu variação média de 79%. No início de maio as siderúrgicas anunciaram aumentos que variaram de 10% a 18% no valor do material, que é o principal insumo da indústria de implementos rodoviários, assim como de toda a indústria caminhonística.

O setor de implementos está atualmente em um processo de recuperação de vendas ao mercado interno em meio a uma economia que sofre as consequências da pandemia da covid-19. A Rodofort entregou, entre janeiro e abril deste ano, 621 produtos a clientes, enquanto no mesmo período de 2020 foram emplacados 235 unidades. A demanda por novos produtos demonstra para a empresa que os transportadores têm necessidade de renovar ou ampliar sua frota.

“Isso é fruto de todo nosso trabalho de prospecção de negócios e aproximação com os clientes, aproveitando o momento de retomada da economia. Um aumento no preço do aço poderá quebrar esse ritmo prejudicando diretamente toda a cadeia de distribuição de produtos no Brasil”, conclui o executivo da Rodofort.

Foto: Rodofort