Linha de motores GSE Turbo da Stellantis começa a ser produzida em Betim

A produção da nova família de propulsores GSE com turbo da Stellantis já teve início no Polo Automotivo Fiat, em Betim (MG). A inauguração da montagem da nova linha de motores contou com a presença de Carlos Tavares, CEO da Stellantis, Mike Manley, chefe para as Américas, e Antonio Filosa, COO da Stellantis para a América do Sul. Os novos motores equiparão a Fiat Toro, as versões de topo do Argo e Cronos, além do novo SUV da Fiat que está chegando, e não está descartada a possibilidade de também virem a equipar modelos nacionais da Peugeot e Citroën.

A planta tem capacidade de produção de 100 mil motores por ano, tendo recebido investimento de R$ 400 milhões, incluindo aportes de pesquisa e desenvolvimento e de fornecedores. Na fase inicial, serão fabricados motores quatro cilindros turbo e, ainda em 2021, serão investidos mais R$ 100 milhões para expansão com a finalidade de produzir motores de três cilindros com turbo.

A unidade de Betim torna-se o maior centro de produção de powertrain da América Latina, com capacidade anual de 700 mil motores e 500 mil transmissões. A unidade possui alta sinergia de gestão, manutenção, logística e expertise técnica com a linha de produção dos propulsores Fire Evo e Firefly.

“A Stellantis abre uma nova era para nossa presença sustentável na América Latina e o início da produção desse motor GSE Turbo de classe mundial é uma grande notícia para a economia brasileira. Estou convencido de que nossos talentosos e comprometidos funcionários farão o possível para garantir a satisfação de nossos clientes”, afirma Carlos Tavares, em sua primeira visita ao Brasil desde a criação da Stellantis, em janeiro.

“A inauguração desta planta de motores turbo representa um passo estratégico na direção de ampliarmos nossa presença na América Latina. Também traz muitas possibilidades para nossa gama de produtos, pois os motores GSE Turbo reúnem as melhores tecnologias de desempenho e sustentabilidade, com ganhos no consumo de combustível e redução de emissões. Esta nova produção será fonte de grande orgulho e motivação para todos nós”, declara Antonio Filosa.

A unidade de fabricação da nova família GSE Turbo conta com uma estrutura com 12 mil metros quadrados de área produtiva, com duas linhas de usinagem de cabeçote e bloco de motor, e uma linha de montagem, dividida em três ciclos (cabeçote, short block e long block). A planta começou a ser projetada em 2019 em ferramenta 3D, com análises e testes virtuais prévios de toda a cadeia produtiva dos motores antes da implementação física, seguindo as tendências da Indústria 4.0.

A montagem da fábrica contou com a simulação virtual das máquinas e equipamentos e com a participação de mais de 90 fornecedores de diversas áreas. “Para garantir os melhores padrões mundiais de qualidade, realizamos benchmarks globais que, somados ao conhecimento acumulado ao longo de 44 anos de atividade do Polo Automotivo de Betim, tornam a nova fábrica de motores uma referência global”, destaca Pierluigi Astorino, diretor de Manufatura da Stellantis para a América do Sul.

Estando dentro do padrão World Class Manufacturing (WCM) empregado globalmente pela montadora, a planta foi desenvolvida para assegurar alto grau de qualidade e confiabilidade, com a completa rastreabilidade das operações realizadas. Dados como o aperto de parafusos e testes de componentes são armazenados em unidades de memória, chamadas databolt e datatag, que acompanham todo os ciclos produtivos da usinagem e da montagem. A nova unidade segue rigorosos requisitos ambientais e de segurança, em conformidade com as normas ISO 14001, ISO 50001 e OHSAS.

A diversidade na contratação de colaboradores é um ponto destaque na nova linha de produção de motores, que emprega diretamente 350 pessoas, das quais 139 são mulheres. Considerando-se a cadeia produtiva e de desenvolvimento dos propulsores, foram gerados cerca de três empregos indiretos para cada posto de trabalho direto. “Estamos empenhados em formar equipes cada vez mais diversas. A inclusão enriquece as relações sociais e de trabalho, aumentando o potencial da inovação e, consequentemente, a competitividade dos nossos negócios”, explica Astorino.

A team leader da linha de usinagem do cabeçote do GSE Turbo é Mireli Resende, que ingressou como colaboradora na equipe da companhia em 2019, tendo passado por amplo processo de capacitação para assumir o cargo de comando da unidade. “O motor turbo é produzido por um time diverso. São várias cabeças, mãos e corações, pois aqui produzimos também com paixão. Ver o motor pronto na ponta da linha é uma sensação de dever cumprido, de toda a equipe que está empenhada em produzir com qualidade, eficiência e segurança”, afirma Mireli.

A nova família GSE Turbo é composta pelos motores T3 (1.0) e T4 (1.3), disponíveis nas versões flex e a gasolina. Os propulsores são produzidos em bloco de alumínio, o que reduz o peso e melhora a rapidez de aquecimento e dissipação do calor dos motores. Os novos GSE Turbo trazem a tecnologia MultiAir da Stellantis, já presente em outros propulsores da montadora. O sistema eletro-hidráulico permite o controle flexível da duração e da elevação das válvulas de admissão, além do controle de carga do motor sem gerar perdas de bombeamento e contribuindo para reduzir o consumo de combustível do motor em operações de baixa e média carga.

A nova linha de motores foi desenvolvida com uma tecnologia de classe mundial, em conformidade com as normas da União Europeia, e além de suprir o mercado nacional para equipar inicialmente veículos das marcas Fiat e Jeep, será destinada também à exportação para outros países e continentes, razão pela qual foi criada também uma opção movida apenas a gasolina do novo propulsor. O GSE Turbo 1.3 de 4 cilindros e comando de válvulas 4V MultiAir III conta com uma potência de 180 cv, torque de 270 Nm e taxa de compressão de 10,5:1 na versão a gasolina.

Foto: Leo Lara/Studio Cerri