Librelato faz sua primeira exportação para a África

A catarinense Librelato realizou sua primeira negociação no mercado africano, exportando implementos rodoviários para a Sorwatraco, empresa da Ruanda que realiza o transporte de bebidas entre Ruanda e Tanzânia. Os dois produtos vendidos para a companhia ruandesa são dois conjuntos de carroceria e um reboque sider, montados em Ruanda. A venda marca o início de uma promissora parceria com empresas na África, e a Librelato continua trabalhando nas negociações para ampliar as exportações para aquele continente.

“Essa venda irá reafirmar a qualidade de nossos produtos e nos impulsionar a alçar novos voos pelo mercado externo. O cliente Sorwatraco já encomendou outros implementos que serão entregues em breve”, afirma José Carlos Sprícigo, CEO da Librelato. “Vale salientar que Ruanda é um país que saiu de uma guerra civil na década de 90 para uma das economias que mais cresce na África. O país viveu uma grande recuperação social e, hoje em dia, apresenta um modelo de desenvolvimento que é considerado exemplar para países em desenvolvimento”.

A Librelato dá prosseguimento ao seu projeto de expansão internacional através do MoveBrazil, programa de internacionalização da indústria de implementos rodoviários organizado pela Anfir (Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários) e Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos). “As exportações são extremamente importantes para nossos resultados de vendas, pois durante os altos e baixos do mercado interno esta atividade nos ajuda a manter um ponto de equilíbrio nos negócios”, destaca Sprícigo. Até o final do ano a Librelato planeja exportar 400 itens para vários países na América do Sul e África.

“Essa importância que a Librelato dá ao mercado externo traz consigo ações sólidas e duradouras na busca desta expansão internacional. Entendemos que através do acesso aos novos mercados conseguimos ter uma visão além do horizonte em nossa empresa, internalizando as experiências e conhecimentos obtidos lá fora, que são transformados em soluções e melhorias para nossos produtos e processos”, conclui Daniel Zilio, gerente de Exportação da Librelato.

Foto: Librelato