Curitiba renova sua frota com 40 novos ônibus Volvo

A Volvo Buses realizou a entrega de novos ônibus para o sistema de transporte coletivo urbano da cidade de Curitiba (PR), sendo 6 biarticulados B340M, 13 articulados B340M, 16 padron B250R e 5 convencionais B270F, totalizando 40 veículos. “Voltamos a ter total hegemonia nos biarticulados, um veículo em que somos líderes absolutos na cidade e no mercado. Além disso, tivemos entregas expressivas em todo o segmento de veículos pesados, que inclui também articulados e ônibus padron”, declara Fabiano Todeschini, presidente da Volvo Buses Latin America.

Atualmente o sistema de transporte de Curitiba transporta 1,23 milhão de pessoas, em mais de 14,1 mil viagens diárias. Com 254 linhas, os 1.250 ônibus da cidade percorrem uma média diária 273 mil quilômetros. A capital paranaense foi a responsável por desenvolver o BRT (Bus Rapid Transit), conceito que utiliza ônibus em corredores exclusivos, com embarques em nível e bilhetagem pré-paga para permitir maior fluidez ao transporte coletivo. Surgido na cidade nos anos 70, o sistema inspirou diversas outras metrópoles ao redor do mundo, especialmente na América Latina, posteriormente evoluindo para as versões articuladas e biarticuladas para o transporte de maior quantidade de passageiros.

Por sua contribuição como inspiração global, recentemente o BRT de Curitiba foi reconhecido como um dos “50 projetos mais influentes do mundo”, pelo PMI (Project Management Institute), ao lado de outras ideias revolucionárias como a Internet, o mecanismo de buscas Google e a espaçonave Apollo 11. “Temos muito orgulho de ter criado o primeiro ônibus biarticulado comercialmente viável do mundo, ajudando para esta consolidação do BRT de Curitiba e depois de outras metrópoles”, afirma Todeschini.

Os ônibus biarticulados, articulados e padron da Volvo contam com vários itens tecnológicos que visam principalmente à segurança, como sistema de freio eletrônico a disco e ABS, e um controle automático de velocidade que utiliza conectividade GPS para reduzir automaticamente a velocidade dos ônibus em áreas críticas com maior concentração de pedestres, como terminais, escolas e hospitais. Em 2018 houve redução em 50% nas colisões no eixo norte-sul do BRT, em comparação com o ano anterior, graças à implantação dessa tecnologia nos biarticulados da capital paranaense.

Foto: Volvo/Marcopolo